série em desenvolvimento, 2016 - atual

 

_

Construídas a partir e dentro do nosso cotidiano, as pinturas surgem através da relação entre performance, fotografia e colagem presente na nossa produção. Ao longo de dois anos, utilizamos nossa própria figura e casa (onde moramos e trabalhamos) para construir as cenas retratadas nas pinturas.


As obras da série parecem se relacionar com a ideia de “pintura de interior”: “interior” enquanto locação (dentro do cotidiano de uma casa), localização (os móveis e arquitetura remetem a uma casa do interior do estado de São Paulo) e interior das personagens. Buscamos refletir sobre a relação do ser humano com o meio e uma outra forma de se observar o que é comum ao cotidiano.
Nossa produção lida com o autorretrato e o aspecto autorreferencial também se expande para os elementos decorativos nas pinturas.

 

Com interesses gráficos e narrativos, as estampas e elementos decorativos sempre estiveram presentes. Estampas e hábitos possuem em comum a repetição de um elemento, sejam eles, respectivamente, de motivos decorativos ou de ordem comportamental, como a repetição de uma ação ou linha de pensamento. Dessa forma, as estampas são uma forma de falar de comportamentos que se repetem e através delas buscamos retratar sentimentos, reações e sensações. Trabalhando com cenas cotidianas, esses elementos e estampas (que geralmente trazem a figura humana) são posicionados em áreas normalmente associadas à estamparia e revestimento.